quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Transporte Coletivo de Palmas terá novos micro ônibus

15/12/2010 - Busologia Mundial

A partir da próxima semana, o Sistema de Transporte Urbano de Palmas passará a contar com oito novos micro ônibus. Os veículos foram apresentados pela Empresa Expresso Miracema, na tarde desta terça-feira, 14, ao secretário Municipal de Segurança, Trânsito e Transporte, Coronel Antônio Joaquim Martins Benvindo, e aos integrantes do Conselho Municipal de Trânsito.

Segundo a Empresa Miracema, cada micro ônibus custou R$ 230 mil e todos atendem aos requisitos de acessibilidade, com rampa para cadeirantes, poltronas especiais para pessoas que estão acima do peso e catraca diferenciada que facilitam o acesso de gestantes ao espaço das 21 poltronas.
Somados os valores de cada ônibus, o investimento no Sistema de Transporte Urbano de Palmas chega a R$ 1.840.000,00. A empresa revelou, ainda, que no próximo ano novos modelos vão integrar à frota, porém, serão veículos maiores, como os tradicionais que já circulam na Capital.

Fonte: Ascop

domingo, 12 de dezembro de 2010

"A verdade sobre a transporte coletivo de Porto Velho"

03/04/2009 - Rondoniagora.com


Informe publicitário

O Set- Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Porto Velho, preocupado com as constantes reclamações que vêem sendo feitas pela população, mídia local e também por boa parte dos Senhores Vereadores, vem a publico esclarecer tudo sobre o transporte Coletivo de nossa Capital: 

1 - Porto Velho hoje conta com uma frota das mais novas do Brasil. A idade média dos ônibus oscila entre cinco a cinco anos e meio. Além disso, foi compromisso com a Prefeitura Municipal para serem colocados no sistema mais 40 novos ônibus ainda este ano. A maior parte virá já no primeiro semestre. Desse total, quatro novos ônibus já estão circulando desde o dia 23 de março. E, no próximo dia 13 deste mês de abril, partem de Duque de Caxias-RJ onde fica a Fabrica da encarroçadora Marcopolo, mais 10 novas unidades. Todas elas entrarão em circulação já no dia 22 de abril. Dez dias depois, mais seis unidades estarão a caminho de Porto Velho. Resumindo: 50 por cento dos novos ônibus prometidos pelo SET já estarão circulando ainda no primeiro semestre. 

2- É importante destacar que TODOS os novos coletivos que serão acrescidos à frota já serão adaptados, com elevador, para o acesso dos portadores de deficiência. 

3 –Devemos deixar claro à população de que para se poder adquirir um ônibus novo ou seja zero quilômetro, exige-se um tempo de espera, algo em torno de 60 a 90 dias, pois a aquisição do chassi é em um local e da carroceria em outro. Por exemplo: a exemplo de Porto Velho que tem uma frota quase que 100 por cento Mercedes Bens e carroceria Marcopolo, o chassi é adquirido em São Bernardo do Campo - SP e de lá ele vai para Caxias do Sul-RS ou para Duque de Caxias-RJ, onde lhe é colocada a carroceria. Só então o ônibus é enviado a Porto Velho para iniciar o atendimento a população. Antes disso, ainda, é feita a revisão de garantia, emplacamento junto ao nosso Detran e finalmente cadastrado junto a SEMTRAN, para aí sim, estar apto a circular e atender a população. Portanto, como a trajetória é grande, se justifica o longo prazo que as empresas e população têm que esperar para ter um novo ônibus na cidade. 

4 - Muito se tem ouvido a respeito da lotação dos ônibus, tempo de espera nas paradas de ônibus, e o tempo que o ônibus leva para se chegar ao seu destino já depois do passageiro ter embarcado. Nestex contexto, também se fazem necessários esclarecimentos. Por exemplo, em recente matéria divulgada no JORNAL NACIONAL do último dia 23 de março, onde o assunto era especificamente TRANSPORTE COLETIVO nas metrópoles do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, a população sentia os mesmos problemas que se registram em Porto Velho. Então chegamos à conclusão de que se isto ocorre nestas grandes metrópoles como citado que foram RJ, SP, BH, devemos acreditar que o problema não é localizado e sim geral. Infelizmente ninguém vai até às empresas de ônibus ou até o sistema de transportes coletivo e procura saber os reais motivos pelos quais os problemas ocorrem. 

5- Segundo o SET, muitos dos problemas ocorrem por motivos alheios às empresas e à sua vontade. O inchaço das vias de trânsito com o aumento de automóveis, motos, bicicletas; a falta de vias preferenciais e expressas para ônibus, que poderiam agilizar o deslocamento dos coletivos. Melhorias nas condições de semáforos; quebra-molas para que os ônibus tenham preferência e se desloquem com maior rapidez, tudo isso influi diretamente nos problemas do sistema de transporte coletivo. Mas há mais: a grande quantidade de ruas esburacadas, que hoje existe em nossa cidade, é outro fator que faz com que nossos ônibus percam muito tempo no transito. Se nas principais ruas e avenidas como Carlos Gomes, Nações Unidas, Jorge Teixeira, Calama, Rio Madeira, Rio de Janeiro, Raimundo Cantuaria, Amazonas, Jatuarana e outras não houvesse estacionamento do lado direito para os automóveis, por exemplo, não só os ônibus como também todo o trânsito iria fluir com mais rapidez. 

Tome-se como exemplo a cidade de Curitiba, que tem um ótimo serviço de transporte coletivo: lá os ônibus são limpíssimos, pontuais e ágeis no trânsito. Porque contam com vias preferenciais, corredores, vias totalmente pavimentadas, sem buracos e sem poeira lama ou barro. Todos estes fatores ajudam os ônibus a atender melhor e mais rápido a toda população. 

6 - Hoje em Porto Velho , até quem anda em seu automóvel particular está chegando atrasado a seus compromissos profissionais, trabalho, escola, médico etc., devido ao nosso caótico transito. Até porque nos automóveis o motorista pode ir “costurando”, para usar uma linguagem popular, fazendo zique-zaque no trânsito para ses deslocar com maior rapidez. Há casos em que muitos motoristas se arriscam a provocar acidentes, devido a estes atos. Mas imagine-se um ônibus com seus exatos 14 metros de comprimento, tendo que estar do lado direito da rua todo tempo devido ser o lado das paradas de ônibus, não existe lógica, prudência ou a mínima condição de sair fazendo estas manobras radicais? Nos ônibus, além de que inúmeras vidas estão em seu interior, todos os profissionais têm a obrigação de zelar por elas do inicio ao final de cada viagem. É impossível para os ônibus fazer manobras arriscadas. O que é necessário é dar ao sistema de transporte coletivo apoio, estrutura, sinalização, vias exclusivas para que tudo funcione a contendo e dentro das necessidades da população. 

7 – Fala-se também em relação à limpeza dos ônibus. É outro problema que o usuário do transporte coletivo enfrenta, mas que está, da mesma forma, além da vontade das empresas. Só para se ter uma idéia, todas as noites, 30 dias por mês e 365 dias por ano, TODOS os ônibus são rigorosamente lavados por dentro e por fora, para que na manhã seguinte eles possam atender nosso usuário em perfeitas condições de higiene e segurança. Essa é a parte das empresas e ela é bem feita. Porém, devido às condições de nossas ruas, muitas delas empoeiradas no verão e enlameadas no inverno, já na primeira viagem do dia do ônibus todo este trabalho de limpeza, que foi feito na madrugada, já esta desfeito. E, é claro, o ônibus fica cheio de lama ou de poeira por todo o decorrer do dia. É justo dizer que essa culpa é das empresas? A única saída seria lavar os ônibus depois de cada viagem e, sabe-se, isso é impossível. Infelizmente, por não ter conhecimento desse quadro todo, muitas pessoas atribuem esse problema às empresas. Mas a verdade é outra. As empresas concordam que é humilhante e desumano ver uma pessoa sujar sua roupa ao adentrar um veiculo sujo de poeira ou barro, coisa que nas grandes metrópoles não acontece.Mas aqui, com os problemas de estrutura que ainda temos em nossa cidade, por mais esforço que se faça para manter os ônibus limpos, isso se torna impossível. 

8 - Outro fatos que faria com que nossos ônibus fossem mais ágeis e atendesse melhor a população, seria com a execução de um redimensionamento das linhas de ônibus, pois seus traçados e rotas são as mesmas há mais de 15 e algumas até há 20 anos. Neste tempo não foram redimensionadas, observando-se por exemplo o crescimento da cidade e de nossa população. Com uma medida simples e básica como essa, se evitaria que determinadas linhas de ônibus fossem em demasia a um local de baixa demanda de passageiros, e passariam então a passar por locais onde a necessidade fosse maior. Com isso, atenderia a mais usuários com maior rapidez. Um exemplo clássico disso, hoje, é o Hospital de Base, onde dezenas de linhas e ônibus se deslocam para ir. Com um correto e eficaz redimensionamento, esse setor poderia ser muito bem atendido com menos linhas, enquanto os demais ônibus estariam atendendo a outra parte da população que hoje tem carência de maior freqüência de ônibus. 

É importante destacar: TUDO ISTO SÓ PODE SER FEITO COM O AVAL DA SEMTRAN, pois boa parte da população não sabe que quem define as rotas, linhas e itinerários, imaginando que são as empresas que o fazem. Não é. A responsabilidade pelas linhas é da SEMTRAN e não as Empresas de Ônibus. 

9 - Outro assunto que deve ser comentado é a questão da pretensão de alguns MOTOTAXISTAS em querer legalizar-se na cidade de Porto Velho. É bom lembrar que esta é uma atividade considerada de grande perigo à sociedade e sem amparo de qualquer legalidade, seja no âmbito Municipal, Estadual ou Federal. Em hipótese alguma o transporte de passageiros executado por motocicletas pode ou poderia ser legalizado, pois põem em risco a vida a integridade e a saúde de toda uma população. Os riscos são imensos e a ação dos mototáxis apenas serviria para superlotar hospitais e cemitérios de nossa Cidade. Os custos nas áreas de saúde pública e segurança – com um grande aumento no número de acidentes – como, aliás, já ocorre em outras cidades do país onde o serviço clandestino ainda existe. 

O sistema de mototáxi pode parecer ser uma rápida solução. Mas é claro que o sistema não traz solução alguma, pelo contrário. Até nas pequenas cidades, com uma quantidade minúscula de habitantes deve-se aceitar esse risco à população. Imagine-se os danos e prejuízos que isso poderia causar numa capital do porte de Porto Velho. Não seria, numa analogia, como se voltássemos à época das diligências ou das locomotivas a vapor? Não seria um enorme retrocesso numa cidade moderna, que cresce acima de outras capitaos da região norte e de todo o Brasil? 

Isto sem contar como ficaria a situação do idosos, dos portadores de deficiência, dos estudantes. Como poderia uma motocicleta transportá-los sem arriscar suas vidas? 

10 - O que precisamos na realidade não é de mototáxis mas sim de melhorar as condições de nosso transporte coletivo, com as empresas fazendo a parte delas e o Município fazendo a dele. Se ambos não fizerem cada um a sua parte, não há como a estrutura funcionar. Prefeitura, empresas de ônibus e dos táxis têm tudo para que Porto Velho tenha um sistema de transporte digno e um exemplo para o resto do Brasil, como estamos dando, já, em relação à idade da nossa frota. 

Portanto, é importante que a população de Porto Velho, assim como também a classe política e todas as autoridades saibam que as Empresas do Sistema de Transporte Coletivo de Porto Velho procuram todos os dias e de todas as formas atender melhor a seus usuários. Porque trabalha com respeito, porque busca qualidade, porque dá empregos diretos e indiretos a mais de mil pessoas e que busca, em cada ação, corrigir as falhas, buscar alternativas melhores, atender a cada vez mais gente. O SET e seus associados são parceiros da comunidade de Porto Velho e fazem tudo ao seu alcance para transformar essa afirmação em realidade. 

Também queremos nos colocar a disposição da população, das autoridades e de quem queira saber como trabalhamos, como agimos e a relação de respeito que temos para com essa terra para outros esclarecimentos que se fizerem necessários. 

SET – SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE DE PORTO VELHO

Fonte: SET
Autor: SET


Fotos Antigas

Porto Velho. Avenida 7 de setembro.

Fonte: "As Promessas do Oeste". Revista Veja 06/01/1982, página 54.

http://veja.abril.com.br/acervodigital/home.aspx

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Porto Velho: Corredor de ônibus pode ser usado por outros veículos para conversão à direita

09/12/2010 - O Nortão

O secretário municipal de Transportes e Trânsito de Porto Velho, Itamar Ferreira, explicou mais uma vez na tarde desta quarta feira (8), que o corredor exclusivo para ônibus na Avenida Sete de Setembro, pode ser utilizado por outros veículos, mas apenas no momento de fazer a conversão à direita. A medida foi tomada com o objetivo de diminuir o tempo de percurso dos coletivos e evitar congestionamentos, principalmente nos horários de pico.

De acordo com Itamar Ferreira, o corredor foi implantado no último dia 20 de novembro e está devidamente sinalizado com faixa de uso exclusivo para ônibus. No entanto, fiscais de trânsito estão em pontos estratégicos distribuindo panfletos explicativos sobre as mudanças feitas pela prefeitura e prestando orientações aos condutores.

O que os condutores de outros veículos não podem fazer é trafegar por toda extensão do corredor, que inicia na Rua Rogério Weber e termina nas Nações Unidas, mas não é proibido nenhum tipo de conversão à direita por conta da faixa exclusiva para o transporte coletivo. “Qualquer motorista que precisar fazer conversão para a direita, quer seja na Av. Campos Sales, Tenreiro Aranha ou Joaquim Nabuco, deve ligar a seta antes, a uns 20 metros, e entrar no corredor para fazer a manobra normalmente. Isso não constitui infração e os condutores de ônibus devem respeitar”, esclareceu o secretário.

Itamar Ferreira adiantou que nesses poucos dias de funcionamento do corredor de ônibus, os técnicos da Semtran constataram que o trânsito melhorou sensivelmente na principal avenida do centro de Porto Velho. “A medida permite maior agilidade no fluxo de veículos, além de evitar acidentes e aqueles constantes congestionamentos”, avaliou.




segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Sistema de transportes renova frota de ônibus

13/07/2005 - Prefeitura de Porto Velho

Qua, 13 de Julho de 2005 04:22


A implantação do sistema de integração através do cartão eletrônico Leva Eu, tem gerado economia para os usuários, além da renovação da frota.

Em solenidade realizada às 10 horas desta quarta-feira (13), em frente ao Palácio Tancredo Neves, o prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho recebeu mais onze novos ônibus que passam a integrar o sistema de transporte coletivo da capital. A nova aquisição, por parte da empresa Rio Madeira, eleva para 24 o número de veículos adquiridos somente este ano e obedece ao calendário de renovação da frota estabelecido pela administração municipal.

Segundo explicou o secretário municipal de transporte e trânsito, José Cláudio Carvalho, com essas novas aquisições a idade média da frota que faz o transporte coletivo de Porto Velho passa para cinco anos, obedecendo o que estabelece o contrato de concessão com o Consórcio Vale do Guaporé, composto pelas três empresas que operam atualmente na capital - Seta, Três Marias e Rio Madeira. “Isso representa mais segurança, tranqüilidade e comodidade. Representa também o respeito, cuidado e atenção para com os usuários, por parte do prefeito Roberto Sobrinho”, destaca o titular da Semtran. Cláudio Carvalho ainda destacou as conquistas no sistema de transporte coletivo da capital nesses primeiros seis meses da gestão Roberto Sobrinho, como a implantação do sistema de integração através do cartão eletrônico Leva Eu, que tem gerado economia para os usuários, além da renovação da frota. O prefeito anunciou ainda a terceira ação que culminará com o Sistema de Integração Obrigatório. “Assim todas as linhas estarão integradas e vamos acabar de uma vez por todas com a demora de mais de uma hora em determinadas paradas”, disse, acrescentando que, além das melhorias no transporte urbano, a prefeitura as ruas recebem placas de identificação, as faixas de segurança estão sendo pintadas, especialmente as sinalizações noturnas. “Em breve, vamos começar a construir abrigos para passageiros. Para tanto, já temos recursos garantidos através do Ministério das Cidades”, informou.

Sistema Integrado Obrigatório

Segundo o secretário Cláudio Carvalho, o Sistema Integrado Obrigatório, anunciado pelo prefeito, será implantado até dezembro deste ano. “Um exemplo sobre este sistema é como vai ficar a linha de ônibus chamada Coca-Cola. Hoje o passageiro espera cerca de noventa minutos, porque é apenas um carro para atender esta linha. Com a implantação do sistema, o tempo de espera será reduzido para cerca de 25 minutos, pois o ônibus irá apenas até a BR 364 e de lá o passageiro pegará outro ônibus, sem mais despesa, podendo, inclusive, pegar até três ônibus pagando apenas uma passagem”, explicou o secretário.

O secretário disse que prefeitura ouve sugestões e críticas da população. Exemplo disso é que, recentemente, os usuários solicitaram à Semtran um novo itinerário para os ônibus da linha Circular. Eles queriam que, além da parada normal, os veículos chegassem até o Cemetron. A proposta foi estudada e a prefeitura, junto com os empresários, atendeu à proposta.

Porto Velho tem atualmente 157 coletivos que atendem a 46 linhas, sendo uma das frotas mais novas do Brasil.

Corredor de ônibus da Sete de Setembro começa neste sábado

18/11/2010 - Prefeitura de Porto Velho

 
A partir deste sábado, dia 20, o corredor exclusivo para ônibus coletivo começa oficialmente a ser utilizado na Avenida Sete de Setembro. O corredor inicia na Avenida Rogério Weber e termina no encontro das Avenidas Nações Unidas e Sete de Setembro. Nesta quinta feira, 18, a secretaria municipal de Trânsito e Transportes (Semtran), já iniciou a transferência dos taxistas da Sete para os novos pontos de táxi localizados nas sub esquinas com a própria Sete de Setembro, a única exceção é o ponto de táxi da praça Jonathas Pedrosa.


Durante duas semanas a fiscalização de trânsito da Semtran vai orientar os condutores de veículos, de motocicletas e de ônibus para as novas regras de tráfego dentro do trecho do corredor de ônibus. "O prefeito Roberto Sobrinho, mais uma vez, faz importantes ajustes no sistema de trânsito de Porto Velho, para modernizar e tornar mais seguro o tráfego de veículos. Com este novo corredor exclusivo para os coletivos, todos saem ganhando, principalmente o usuário do sistema que ficará menos tempo na parada esperando o ônibus e o fluxo de veículos ficará mais rápido, pois os coletivos e os demais veículos estarão utilizando faixas de rolamento distintas", destacou Fernanda Moreira, secretária Semtran.


 
O corredor está instalado do lado direito da via e tem aproximadamente quatro metros de largura. O restante da Avenida foi dividido em três partes, duas para o rolamento de veículos e a outra do lado esquerdo, está destinada para o estacionamento de motocicletas e demais veículos. Segundo a secretária, as linhas foram mantidas, mas os pontos de paradas dos ônibus foram afastados uns dos outros para que os coletivos tenham mais espaço para chegar e sair, evitando assim, principalmente nos momentos de maior movimento, o engarrafamento, a fila dupla e o congestionamento de ônibus, "para isto instalamos as paradas seletivas, com as novas placas informativas, assim os ônibus param em pontos específicos e o trânsito flui melhor, além de aumentar a segurança tanto para o pedestre, quanto para os outros motoristas", explicou Fernanda Moreira.

 
As sinalizações vertical e horizontal foram todas refeitas e ampliadas, inclusive todos os semáforos da Sete de Setembro, também foram substituídos por novos modelos com marcadores de tempo.

Estacionamentos e Segurança

De acordo com o planejamento da Semtran, o estacionamento do lado esquerdo foi escolhido para facilitar a visibilidade dos condutores e pedestres que pretendem entrar na Sete de Setembro.  
As motocicletas têm estacionamento exclusivo próximo às esquinas e os veículos no meio das quadras. Também para garantir a segurança e a visibilidade, as esquinas foram demarcadas com limite máximo de estacionamento.
 
A secretaria está distribuindo para os pedestres, usuários de coletivos, taxistas, motoristas de ônibus, de caminhões e motoristas em geral panfletos informativos sobre as novas alterações e melhorias implantadas na Sete de Setembro, além de poder responder pessoalmente sobre as possíveis dúvidas.
 
A prefeitura também está realizando estudos sobre os trânsitos das Avenidas José Amador dos Reis, na zona Leste, e da Jatuarana, na zona Sul. Estas Avenidas também serão modernizadas para atender a realidade de cada uma.

Por: Fabrícius Bariani
Fotos: Medeiros & Quintela


Prefeitura inicia implantação do “Corredor de Ônibus”

29/09/2010 - tudorondonia.com

Alteração será na avenida Sete de Setembro, entre Rogério Weber e Nações Unidas

Organizar e modernizar o trânsito, agilizar, diminuir o tempo de espera e tornar mais seguro o sistema de transporte coletivo de Porto Velho. Estas são as principais metas que devem ser alcançadas com a implantação do “Corredor de Ônibus” no centro comercial. A prefeitura de Porto Velho, através da secretaria municipal de trânsito e transportes (Semtran), iniciou as primeiras alterações na Avenida Sete de Setembro, da Rogério Weber até a Avenida Nações Unidas, liberando todo o lado direito da grande avenida apenas para os coletivos. Dentro deste perímetro, que recebe 95% das linhas de ônibus, será o “Corredor de Ônibus”, da capital.

De acordo com a secretária da Semtran, Fernanda Moreira, o prefeito Roberto Sobrinho sempre se preocupou com a qualidade do sistema de transporte urbano, devido ao grande número de pessoas que são transportados diariamente, para que este sistema estivesse sempre em condições de atender a demanda, que cresceu muito nos últimos tempos.

“Estamos realizando a implantação deste projeto que beneficiará diretamente a rotina dos usuários dos transportes coletivos, que terão mais segurança durante o embarque e desembarque, como também o trânsito no centro da cidade, indiretamente relacionado às demais paradas dos ônibus, fora do corredor, uma vez que estes coletivos estarão dentro do cronograma de tráfego em outras vias, principalmente nos horários de picos, do fluxo dos veículos e pedestres”, explicou a secretária.

Mudanças

A Semtran já fez algumas alterações na Sete de Setembro para implantar o projeto. Em frente à praça Jônathas Pedrosa, foi demarcado do lado esquerdo o único ponto de táxi dentro da Avenida, no trecho do Corredor de Ônibus, os demais que existem do lado direito foram demarcados nas vias vicinais com a Sete de Setembro. A próxima etapa é preparar do lado esquerdo dos estacionamentos, para os carros e motocicletas. Conforme o projeto, as motocicletas ocuparão as pontas das quadras e os carros o meio. Uma sinalização especifica demarcará os novos limites para os estacionamentos, “assim vamos aumentar a capacidade dos veiculos a serem estacionados na via, além de melhorar a visibilidade dos condutores com relação às esquinas, já que estarão ocupadas por motocicletas”, destacou Fernanda Moreira.

A terceira etapa é a demarcação de todo o lado direito delimitando o corredor, e neste caso, serão utilizados os limites específicos para que apenas os coletivos utilizem o corredor.

Não será permitido o trânsito e nem o estacionamento, ou a parada de qualquer outro veiculo dentro do corredor, que não sejam os ônibus. A quarta e última fase será por em prática o novo sistema. A secretaria de trânsito também fará toda sinalização horizontal e vertical na Sete de Setembro para garantir ainda mais a segurança da via pública.
 
 

Plano de Mobilidade Urbana vai “desafogar” trânsito

14/09/2010  - Tudorondonia.com

No Plano de Mobilidade Urbana foram traçadas diretrizes para as áreas de transporte e trânsito na capital, com uma perspectiva de 10 anos

O aumento significativo da frota de veículos em Porto Velho, fez com que a prefeitura da capital começasse a pensar na implantação de um plano de mobilidade para desafogar o trânsito nas áreas mais críticas, principalmente nos horários de pico — das 07h às 08h, das 12h às 13h e das 18h às 19h. O aumento da frota ficou em torno de 18%, sendo a maior taxa registrada entre as capitais dos Estados brasileiros. Na avaliação da secretária municipal de transporte e trânsito, Fernanda Moreira, o momento econômico que vive o país, aliado aos grandes empreendimentos em andamento na capital de Rondônia, podem ser apontados como os principais responsáveis pela “explosão” da venda de veículos em Porto Velho. “Foi uma somatória de situações favoráveis que contribuiu também com a redução dos impostos incidentes sobre a venda dos veículos, facilitando a aquisição de carros, notadamente os chamados populares. Isso fez com que o número de veículos circulando nas ruas da cidade, aumentasse consideravelmente. Se por um lado esse quadro demonstra uma melhora no poder aquisitivo da população, por outro tem causado certos transtornos no trânsito que obrigou a prefeitura a adotar uma nova estratégia para fazer frente a essa problemática”, afirmou a secretária Fernanda Moreira (Semtran).

No Plano de Mobilidade Urbana foram traçadas diretrizes para as áreas de transporte e trânsito na capital, com uma perspectiva de 10 anos, de acordo com a secretária são fundamentais até para os planejamentos futuros das próximas gestões municipais, no que diz respeito a obtenção de recursos para a execução dos projetos da área. “Hoje não se concebe mais trabalhar essa questão do trânsito no improviso. É preciso planejamento, até porque sem projeto, nenhuma instituição consegue alocar verba federal. Então, na gestão do prefeito Roberto Sobrinho, houve a preocupação de organizar o setor com a finalidade de alcançar os êxitos esperados”, disse.

Viadutos

Dentro desse planejamento estratégico, uma das obras fundamentais são os viadutos, que estão sendo construídos nos locais de grande circulação de veículos, com o objetivo de desafogar o trânsito nessas áreas e também desviar a rota dos carros pesados — principalmente carretas — do centro da cidade, partindo da Avenida Jorge Teixeira, uma das principais vias da capital.

“Com a conclusão das obras dos viadutos vamos poder organizar o tráfego pesado na BR 364, no trecho em que a rodovia faz ligação com os bairros da cidade. Eliminando esse gargalo já será possível melhorar a circulação de veículos nos locais críticos, como nos cruzamentos das Avenidas Jatuarana e Campos Sales”, salientou a secretária.

Os primeiros viadutos estão sendo construídos na BR 364, com Avenida Jatuarana e Rua Três e Meio com a Uruguai, no Trevo do Roque, na rodovia BR-364, bairro Mato Grosso, na Avenida Campos Sales, próximo a Vila da Eletronorte e na Avenida Prudente de Moraes. O investimento é da ordem de R$ 105 milhões com financiamentos do governo federal (Ministério dos Transportes), através do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II), com a contrapartida da prefeitura de Porto Velho.

Outro projeto em fase de elaboração no departamento nacional de infraestrutura de transportes (DNIT), é o chamado Arco Norte que também prevê o desvio do tráfego de carros pesados, a partir da BR 364. O desvio será feito na altura da comunidade Santa Marcelina, fazendo ligação com Migrantes até “desembocar” no porto da cidade. Com isso, o centro ficará livre das carretas dando mais mobilidade ao trânsito em toda região central da cidade.

Corredor para ônibus

Ainda no centro de Porto Velho, está em fase de implantação o corredor exclusivo para os ônibus que circulam pela Avenida 7 de Setembro. A intenção é fazer com que o tráfego nessa via flua melhor, além de diminuir o tempo de espera dos usuários do transporte coletivo nas paradas de ônibus, principalmente dos bairros mais distantes do centro.

“Detectamos que esse atraso dos ônibus, às vezes é provocado pela demora que os coletivos levam para circular pelo centro da cidade por causa do trânsito intenso, e criando-se o corredor, vamos melhorar a circulação dos ônibus, diminuindo o tempo que eles levam se deslocando do centro para os bairros e quem ganha com isso são os passageiros”, explicou Fernanda Moreira.

Reabertura de ruas e sinalização

Também estão em execução pela prefeitura de Porto Velho, obras que visam melhorias do sistema viário como a abertura de ruas para criar rotas alternativas de ligação dos bairros ao centro e vice-versa. Obras como as realizadas nas Avenidas Pinheiro Machado e 7 de Setembro, para a secretária de transporte e trânsito de Porto Velho, foram primordiais para desafogar o trânsito nas vias de grande circulação como as Avenidas Vieira Caúla e Amazonas. “A Av. 7 de setembro na primeira etapa, foi aberta até a Rio Madeira, com serviços de pavimentação. Na segunda fase, será feita a ligação da Av. 7 de Setembro até a Guaporé. Existe também o projeto da duplicação da Vieira Caúla, que será fundamental para diminuir esse ‘gargalo’ que hoje ainda se vê em alguns pontos da cidade”, frisou.

Paralelo às obras de infraestrutura a prefeitura de Porto Velho, está investindo na sinalização de ruas e avenidas. Estão sendo realizados os serviços de ampliação e recuperação de sinalização vertical (colocação de placas) e horizontal (sinalização de pista), recuperação de faixas de pedestres e faixa de segurança em frente dos estabelecimentos de ensino. “Nessa questão da sinalização, o nosso foco são os cruzamentos onde há maior incidência de acidentes de trânsito.

Porém, de nada adiantará todo esse investimento que a prefeitura vem fazendo se o condutor não se educar, não tiver consciência da necessidade da direção defensiva. Para diminuição dos índices de acidentes de trânsito é fundamental a colaboração dos condutores”, conclamou a secretária.

Para reforçar a necessidade dessa conscientização, Fernanda Moreira citou um levantamento feito pela prefeitura, que aponta os locais de maior incidência de acidentes. O estudo mostra que os desastres acontecem, na maioria das vezes, em locais sinalizados, o que comprova a imprudência dos motoristas. Entre as principais infrações mencionadas pelo estudo, estão o avanço de sinal vermelho, estacionamento em locais proibidos e falta de uso do cinto de segurança.
 

Corredor de ônibus da Sete de Setembro começa neste sábado

18/11/2010 - Tudo Rondônia.com
 
Durante duas semanas a fiscalização de trânsito da Semtran vai orientar os condutores de veículos, de motocicletas e de ônibus para as novas regras de tráfego dentro do trecho do corredor de ônibus. 
 
http://www.tudorondonia.com.br/noticias/corredor-de-onibus-da-sete-de-setembro-comeca-neste-sabado-,19322.shtml
 

Viação Três Marias recebe novos ônibus em Porto Velho

09/05/2009 - Ônibus Brasil.com

A empresa de transporte coletivo urbano Viação Três Marias, da cidade de Porto Velho – RO, comemora a chegada de novos 14 ônibus novos para sua frota, que passam a integrar o sistema de transporte urbano da capital do estado de Rondônia.

Os veículos recém-chegados possuem carroceria Marcopolo Torino geração 7 e chassis Volkswagen 15-190 EOD ou Mercedes-benz OF-1418, ambos com motor dianteiro.

Veja as fotos do amigo e colaborador do Ônibus Brasil em Rondônia, César Castro.

http://onibusbrasil.com/blog/2009/05/09/viacao-tres-marias-recebe-novos-onibus-em-porto-velho/