domingo, 12 de dezembro de 2010

"A verdade sobre a transporte coletivo de Porto Velho"

03/04/2009 - Rondoniagora.com


Informe publicitário

O Set- Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Porto Velho, preocupado com as constantes reclamações que vêem sendo feitas pela população, mídia local e também por boa parte dos Senhores Vereadores, vem a publico esclarecer tudo sobre o transporte Coletivo de nossa Capital: 

1 - Porto Velho hoje conta com uma frota das mais novas do Brasil. A idade média dos ônibus oscila entre cinco a cinco anos e meio. Além disso, foi compromisso com a Prefeitura Municipal para serem colocados no sistema mais 40 novos ônibus ainda este ano. A maior parte virá já no primeiro semestre. Desse total, quatro novos ônibus já estão circulando desde o dia 23 de março. E, no próximo dia 13 deste mês de abril, partem de Duque de Caxias-RJ onde fica a Fabrica da encarroçadora Marcopolo, mais 10 novas unidades. Todas elas entrarão em circulação já no dia 22 de abril. Dez dias depois, mais seis unidades estarão a caminho de Porto Velho. Resumindo: 50 por cento dos novos ônibus prometidos pelo SET já estarão circulando ainda no primeiro semestre. 

2- É importante destacar que TODOS os novos coletivos que serão acrescidos à frota já serão adaptados, com elevador, para o acesso dos portadores de deficiência. 

3 –Devemos deixar claro à população de que para se poder adquirir um ônibus novo ou seja zero quilômetro, exige-se um tempo de espera, algo em torno de 60 a 90 dias, pois a aquisição do chassi é em um local e da carroceria em outro. Por exemplo: a exemplo de Porto Velho que tem uma frota quase que 100 por cento Mercedes Bens e carroceria Marcopolo, o chassi é adquirido em São Bernardo do Campo - SP e de lá ele vai para Caxias do Sul-RS ou para Duque de Caxias-RJ, onde lhe é colocada a carroceria. Só então o ônibus é enviado a Porto Velho para iniciar o atendimento a população. Antes disso, ainda, é feita a revisão de garantia, emplacamento junto ao nosso Detran e finalmente cadastrado junto a SEMTRAN, para aí sim, estar apto a circular e atender a população. Portanto, como a trajetória é grande, se justifica o longo prazo que as empresas e população têm que esperar para ter um novo ônibus na cidade. 

4 - Muito se tem ouvido a respeito da lotação dos ônibus, tempo de espera nas paradas de ônibus, e o tempo que o ônibus leva para se chegar ao seu destino já depois do passageiro ter embarcado. Nestex contexto, também se fazem necessários esclarecimentos. Por exemplo, em recente matéria divulgada no JORNAL NACIONAL do último dia 23 de março, onde o assunto era especificamente TRANSPORTE COLETIVO nas metrópoles do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, a população sentia os mesmos problemas que se registram em Porto Velho. Então chegamos à conclusão de que se isto ocorre nestas grandes metrópoles como citado que foram RJ, SP, BH, devemos acreditar que o problema não é localizado e sim geral. Infelizmente ninguém vai até às empresas de ônibus ou até o sistema de transportes coletivo e procura saber os reais motivos pelos quais os problemas ocorrem. 

5- Segundo o SET, muitos dos problemas ocorrem por motivos alheios às empresas e à sua vontade. O inchaço das vias de trânsito com o aumento de automóveis, motos, bicicletas; a falta de vias preferenciais e expressas para ônibus, que poderiam agilizar o deslocamento dos coletivos. Melhorias nas condições de semáforos; quebra-molas para que os ônibus tenham preferência e se desloquem com maior rapidez, tudo isso influi diretamente nos problemas do sistema de transporte coletivo. Mas há mais: a grande quantidade de ruas esburacadas, que hoje existe em nossa cidade, é outro fator que faz com que nossos ônibus percam muito tempo no transito. Se nas principais ruas e avenidas como Carlos Gomes, Nações Unidas, Jorge Teixeira, Calama, Rio Madeira, Rio de Janeiro, Raimundo Cantuaria, Amazonas, Jatuarana e outras não houvesse estacionamento do lado direito para os automóveis, por exemplo, não só os ônibus como também todo o trânsito iria fluir com mais rapidez. 

Tome-se como exemplo a cidade de Curitiba, que tem um ótimo serviço de transporte coletivo: lá os ônibus são limpíssimos, pontuais e ágeis no trânsito. Porque contam com vias preferenciais, corredores, vias totalmente pavimentadas, sem buracos e sem poeira lama ou barro. Todos estes fatores ajudam os ônibus a atender melhor e mais rápido a toda população. 

6 - Hoje em Porto Velho , até quem anda em seu automóvel particular está chegando atrasado a seus compromissos profissionais, trabalho, escola, médico etc., devido ao nosso caótico transito. Até porque nos automóveis o motorista pode ir “costurando”, para usar uma linguagem popular, fazendo zique-zaque no trânsito para ses deslocar com maior rapidez. Há casos em que muitos motoristas se arriscam a provocar acidentes, devido a estes atos. Mas imagine-se um ônibus com seus exatos 14 metros de comprimento, tendo que estar do lado direito da rua todo tempo devido ser o lado das paradas de ônibus, não existe lógica, prudência ou a mínima condição de sair fazendo estas manobras radicais? Nos ônibus, além de que inúmeras vidas estão em seu interior, todos os profissionais têm a obrigação de zelar por elas do inicio ao final de cada viagem. É impossível para os ônibus fazer manobras arriscadas. O que é necessário é dar ao sistema de transporte coletivo apoio, estrutura, sinalização, vias exclusivas para que tudo funcione a contendo e dentro das necessidades da população. 

7 – Fala-se também em relação à limpeza dos ônibus. É outro problema que o usuário do transporte coletivo enfrenta, mas que está, da mesma forma, além da vontade das empresas. Só para se ter uma idéia, todas as noites, 30 dias por mês e 365 dias por ano, TODOS os ônibus são rigorosamente lavados por dentro e por fora, para que na manhã seguinte eles possam atender nosso usuário em perfeitas condições de higiene e segurança. Essa é a parte das empresas e ela é bem feita. Porém, devido às condições de nossas ruas, muitas delas empoeiradas no verão e enlameadas no inverno, já na primeira viagem do dia do ônibus todo este trabalho de limpeza, que foi feito na madrugada, já esta desfeito. E, é claro, o ônibus fica cheio de lama ou de poeira por todo o decorrer do dia. É justo dizer que essa culpa é das empresas? A única saída seria lavar os ônibus depois de cada viagem e, sabe-se, isso é impossível. Infelizmente, por não ter conhecimento desse quadro todo, muitas pessoas atribuem esse problema às empresas. Mas a verdade é outra. As empresas concordam que é humilhante e desumano ver uma pessoa sujar sua roupa ao adentrar um veiculo sujo de poeira ou barro, coisa que nas grandes metrópoles não acontece.Mas aqui, com os problemas de estrutura que ainda temos em nossa cidade, por mais esforço que se faça para manter os ônibus limpos, isso se torna impossível. 

8 - Outro fatos que faria com que nossos ônibus fossem mais ágeis e atendesse melhor a população, seria com a execução de um redimensionamento das linhas de ônibus, pois seus traçados e rotas são as mesmas há mais de 15 e algumas até há 20 anos. Neste tempo não foram redimensionadas, observando-se por exemplo o crescimento da cidade e de nossa população. Com uma medida simples e básica como essa, se evitaria que determinadas linhas de ônibus fossem em demasia a um local de baixa demanda de passageiros, e passariam então a passar por locais onde a necessidade fosse maior. Com isso, atenderia a mais usuários com maior rapidez. Um exemplo clássico disso, hoje, é o Hospital de Base, onde dezenas de linhas e ônibus se deslocam para ir. Com um correto e eficaz redimensionamento, esse setor poderia ser muito bem atendido com menos linhas, enquanto os demais ônibus estariam atendendo a outra parte da população que hoje tem carência de maior freqüência de ônibus. 

É importante destacar: TUDO ISTO SÓ PODE SER FEITO COM O AVAL DA SEMTRAN, pois boa parte da população não sabe que quem define as rotas, linhas e itinerários, imaginando que são as empresas que o fazem. Não é. A responsabilidade pelas linhas é da SEMTRAN e não as Empresas de Ônibus. 

9 - Outro assunto que deve ser comentado é a questão da pretensão de alguns MOTOTAXISTAS em querer legalizar-se na cidade de Porto Velho. É bom lembrar que esta é uma atividade considerada de grande perigo à sociedade e sem amparo de qualquer legalidade, seja no âmbito Municipal, Estadual ou Federal. Em hipótese alguma o transporte de passageiros executado por motocicletas pode ou poderia ser legalizado, pois põem em risco a vida a integridade e a saúde de toda uma população. Os riscos são imensos e a ação dos mototáxis apenas serviria para superlotar hospitais e cemitérios de nossa Cidade. Os custos nas áreas de saúde pública e segurança – com um grande aumento no número de acidentes – como, aliás, já ocorre em outras cidades do país onde o serviço clandestino ainda existe. 

O sistema de mototáxi pode parecer ser uma rápida solução. Mas é claro que o sistema não traz solução alguma, pelo contrário. Até nas pequenas cidades, com uma quantidade minúscula de habitantes deve-se aceitar esse risco à população. Imagine-se os danos e prejuízos que isso poderia causar numa capital do porte de Porto Velho. Não seria, numa analogia, como se voltássemos à época das diligências ou das locomotivas a vapor? Não seria um enorme retrocesso numa cidade moderna, que cresce acima de outras capitaos da região norte e de todo o Brasil? 

Isto sem contar como ficaria a situação do idosos, dos portadores de deficiência, dos estudantes. Como poderia uma motocicleta transportá-los sem arriscar suas vidas? 

10 - O que precisamos na realidade não é de mototáxis mas sim de melhorar as condições de nosso transporte coletivo, com as empresas fazendo a parte delas e o Município fazendo a dele. Se ambos não fizerem cada um a sua parte, não há como a estrutura funcionar. Prefeitura, empresas de ônibus e dos táxis têm tudo para que Porto Velho tenha um sistema de transporte digno e um exemplo para o resto do Brasil, como estamos dando, já, em relação à idade da nossa frota. 

Portanto, é importante que a população de Porto Velho, assim como também a classe política e todas as autoridades saibam que as Empresas do Sistema de Transporte Coletivo de Porto Velho procuram todos os dias e de todas as formas atender melhor a seus usuários. Porque trabalha com respeito, porque busca qualidade, porque dá empregos diretos e indiretos a mais de mil pessoas e que busca, em cada ação, corrigir as falhas, buscar alternativas melhores, atender a cada vez mais gente. O SET e seus associados são parceiros da comunidade de Porto Velho e fazem tudo ao seu alcance para transformar essa afirmação em realidade. 

Também queremos nos colocar a disposição da população, das autoridades e de quem queira saber como trabalhamos, como agimos e a relação de respeito que temos para com essa terra para outros esclarecimentos que se fizerem necessários. 

SET – SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE DE PORTO VELHO

Fonte: SET
Autor: SET


Nenhum comentário:

Postar um comentário