terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Prefeitura de Belém dá início às obras do Bus Rapid Transit (BRT)

17/01/2012 - Prefeitura de Belém

Teve inicio nesta segunda-feira (16), as obras do projeto Bus Rapid Transit (BRT), planejado para beneficiar mais de 600 mil pessoas usuárias de transporte público na capital. O modelo de transporte rápido implantado pela Prefeitura de Belém é construído sobre caneletas e possui um corredor de ônibus exclusivo, garantindo agilidade, com redução do tempo de viagem em até 70%.

Ônibus Articulados e modernos serão usados
O novo corredor que vai de Icoaraci até São Brás, terá paradas climatizadas a cada 700 metros e sistema de bilhete antecipado. “Iniciamos os trabalhos aqui pelo entorno do anel viário do entroncamento por se tratar de espaço crítico, onde se verifica constantes engarrafamentos. Neste local serão construídos dois elevados que farão a ligação entre as Avenidas Augusto Montenegro e Almirante Barroso. Para o deslocamento dos ônibus rápidos nessas vias será utilizado a parte central, onde hoje estão instaladas as ciclovias, que serão readequadas para a lateral direita das vias”, ressaltou o prefeito Duciomar Costa, que acompanhou o início das obras na manhã desta segunda-feira.

Ao todo serão 20 quilômetros de pistas, monitoradas pelo Centro de Controle Automatizado com capacidade para atender aproximadamente 45 mil passageiros por hora. O transporte será feito em frota de modernos ônibus articulados, com capacidade para 250 passageiros cada.O sistema de transporte rápido não acarretará custos adicionais para a população, que continuará pagando a tarifa normal, além de poder usufruir de transporte publico de qualidade. “A facilitação do deslocamento vai garantir mais fluidez no trânsito e vai possibilitar a integração de toda a região metropolitana”, antecipou Duciomar Costa.

O projeto tem como objetivo o desenvolvimento urbano da cidade, trazendo melhorias para a população de Belém, como a diminuição dos engarrafamentos e do tempo de deslocamento; além de dar alternativas tanto para os usuários do transporte público como para os carros particulares. Para o autônomo Paulo Henrique, que trabalha na feira do entroncamento há 5 anos, a implantação dos elevados terá impactos na economia. “Muita gente deixa de vir até a feira porque o trânsito aqui é muito complicado. Esperamos que isso mude depois que essa obra estiver pronta, e que isso traga mais clientes”, argumentou.

A previsão de duração das obras é de 18 meses, e o sistema custará 400 milhões de reais, com aporte de recursos do Governo Federal. Estudos mostram que para Belém essa é a melhor opção em relação, por exemplo, à construção de um metrô, que é obra de grande impacto ambiental.

Hoje existem em todo o mundo mais de 160 sistemas BRT operando ou em construção, por terem se tornado a melhor escolha para a mobilidade urbana em 23 países dos cinco continentes. No Brasil o modelo funciona muito bem há cerca de 30 anos em Curitiba (PR), e por conta da conta da Copa de 2014 está sendo implantado em várias cidades, entre as quais Belo Horizonte, Goiânia e Recife.

Prefeitura de Belém dá início às obras do Bus Rapid Transit (BRT)
terça-feira, 17 de janeiro de 2012
Teve inicio nesta segunda-feira (16), as obras do projeto Bus Rapid Transit (BRT), planejado para beneficiar mais de 600 mil pessoas usuárias de transporte público na capital. O modelo de transporte rápido implantado pela Prefeitura de Belém é construído sobre caneletas e possui um corredor de ônibus exclusivo, garantindo agilidade, com redução do tempo de viagem em até 70%.

Ônibus Articulados e modernos serão usados
O novo corredor que vai de Icoaraci até São Brás, terá paradas climatizadas a cada 700 metros e sistema de bilhete antecipado. “Iniciamos os trabalhos aqui pelo entorno do anel viário do entroncamento por se tratar de espaço crítico, onde se verifica constantes engarrafamentos. Neste local serão construídos dois elevados que farão a ligação entre as Avenidas Augusto Montenegro e Almirante Barroso. Para o deslocamento dos ônibus rápidos nessas vias será utilizado a parte central, onde hoje estão instaladas as ciclovias, que serão readequadas para a lateral direita das vias”, ressaltou o prefeito Duciomar Costa, que acompanhou o início das obras na manhã desta segunda-feira.

Ao todo serão 20 quilômetros de pistas, monitoradas pelo Centro de Controle Automatizado com capacidade para atender aproximadamente 45 mil passageiros por hora. O transporte será feito em frota de modernos ônibus articulados, com capacidade para 250 passageiros cada.O sistema de transporte rápido não acarretará custos adicionais para a população, que continuará pagando a tarifa normal, além de poder usufruir de transporte publico de qualidade. “A facilitação do deslocamento vai garantir mais fluidez no trânsito e vai possibilitar a integração de toda a região metropolitana”, antecipou Duciomar Costa.

O projeto tem como objetivo o desenvolvimento urbano da cidade, trazendo melhorias para a população de Belém, como a diminuição dos engarrafamentos e do tempo de deslocamento; além de dar alternativas tanto para os usuários do transporte público como para os carros particulares. Para o autônomo Paulo Henrique, que trabalha na feira do entroncamento há 5 anos, a implantação dos elevados terá impactos na economia. “Muita gente deixa de vir até a feira porque o trânsito aqui é muito complicado. Esperamos que isso mude depois que essa obra estiver pronta, e que isso traga mais clientes”, argumentou.

A previsão de duração das obras é de 18 meses, e o sistema custará 400 milhões de reais, com aporte de recursos do Governo Federal. Estudos mostram que para Belém essa é a melhor opção em relação, por exemplo, à construção de um metrô, que é obra de grande impacto ambiental.

Hoje existem em todo o mundo mais de 160 sistemas BRT operando ou em construção, por terem se tornado a melhor escolha para a mobilidade urbana em 23 países dos cinco continentes. No Brasil o modelo funciona muito bem há cerca de 30 anos em Curitiba (PR), e por conta da conta da Copa de 2014 está sendo implantado em várias cidades, entre as quais Belo Horizonte, Goiânia e Recife.

Fonte: Prefeitura de Belém

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Porto Velho recebe oito novos ônibus nesta sexta-feira

13/01/2012 - Prefeitura de Porto Velho

A população da capital de Rondônia já pode usufruir de novos veículos no transporte coletivo. Cada um deles, custou à empresa Rio Madeira, 230 mil reais, totalizando um investimento de 1 milhão e 840 mil reais. Cada um tem capacidade para 73 passageiros, sendo 42 sentados e 31 em pé. Todas as unidades foram financiadas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES).

A solenidade de entrega aconteceu na manhã desta sexta-feira (23), na praça João Nicolleti, em frente a sede da prefeitura. Estiveram presentes o prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho, o secretário municipal de Transportes Urbanos, Cláudio Carvalho, o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, José Hermínio, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte (SET), Ronaldo Marciano, além dos vereadores, Alan Queiroz, Chico Caçula, Ted Wilson, Pitico Vilela e Juarez Taques.

Já foram entregues até o momento, 24 ônibus. Até o final de dezembro, vamos entregar mais oito, totalizando 32 veículos. Destes, seis foram adaptados para os portadores de necessidades especiais. É o compromisso que firmamos com a prefeitura de Porto Velho e o Ministério Público para oferecer um transporte de qualidade à população, destaca o presidente do SET, Ronaldo Marciano.

Com a entrega destes ônibus que vão substituir veículos velhos, a idade média da frota portovelhense cai para quatro anos. É uma das mais novas do Brasil. A meta da prefeitura de Porto Velho junto com a Semtran é colocar mais 20 coletivos novos em circulação em 2008, revela o secretário municipal de Transportes, Cláudio Carvalho.

Estes veículos novinhos em folha, vão dar agilidade, e principalmente, conforto ao trabalhador e estudante que utiliza o sistema da nossa capital. Afinal, nossa cidade está crescendo e devemos oferecer um transporte coletivo digno para eles. Este é um compromisso que eu tenho com cada pessoa que precisa destes ônibus, aponta o prefeito Roberto Sobrinho.

Roberto destacou ainda outras ações da prefeitura como a instalação de novos abrigos, sinalização de ruas e avenidas e instalação de semáforos sincronizados, em fase experimental na Carlos Gomes, que permite o tráfego fluir com maior velocidade. A construção de marginais e viadutos é outro projeto já aprovado pelo Ministério dos Transportes que vai contribuir para melhorar o trânsito da cidade.

No final da solenidade de entrega, o pároco da Igreja Sagrado Coração de Jesus (Catedral Metropolitana de Porto Velho), abençoou os veículos, motoristas, cobradores e usuários. Aceitei o convite para agradecer a Deus, juntamente com todos que estiveram presentes, por lembrarem da nossa população. Além disso, não é só contar com unidades novas. Também é importante a proteção do nosso pai, afirma o padre Franco Albanesi.

Informações da Prefeitura de Porto Velho

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Em Belém, Sistema de Bilhete Único será implantando em até 90 dias e tarifa é reajustada para R$ 2,00

12/01/2012 - Prefeitura de Belém

Belém terá em 90 dias o seu sistema integrado de bilhetagem única. A novidade foi reafirmada nesta quinta-feira, 12, pelo prefeito Duciomar Costa durante reunião na Companhia de Transportes de Belém (CTBel). Com o benefício, o usuário do transporte público do município pagará uma passagem e poderá se deslocar em várias conduções no período de 2 horas.

De acordo com Duciomar, o Bilhete Único “era um clamor de toda a população”, e ressaltou que o sistema irá facilitar muito a vida dos usurários do transporte coletivo. “Fiz questão de aprovar este projeto, pois sei o quanto ele é importante para a sociedade. Por isso já estamos com o decreto assinado e com um prazo de até 90 dias, a contar desta quinta-feira (12), o novo sistema será implantado”.

Com o decreto homologado, a CTBel e o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belém (Setransbel) terão que realizar as devidas alterações no sistema, como a instalação de uma tecnologia necessária, dentro do prazo determinado.

Hoje (12), o prefeito também homologou a nova tarifa do transporte coletivo da capital, aprovado pelo Conselho Municipal de Transportes na tarde de ontem (11). Com o reajuste de 8,11% o valor da passagem passa de R$1,85 para R$2,00. Segundo a CTBel a nova tarifa só será cobrada a partir de segunda-feira, 16.

Duciomar ressaltou que o valor da tarifa é dado conforme a taxa da inflação, o que determina a Lei. “Os técnicos da CTBel, com o apoio de pesquisas do Dieese, realizaram um estudo antes da votação do Conselho. Os aumentos são obrigatórios pois as empresas precisam pagar os seus insumos, funcionários, etc”, enfatizou.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Belém, Entidades querem audiência pública sobre BRT

10/01/2012 - Diário Online

O Sindicato dos Servidores Federais (Sintsep-PA), juntamente com o Sindicato dos Rodoviários de Ananindeua e Marituba (Sintram) e o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade da Amazônia (Unama) lançaram nota que questiona o projeto de Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), da Prefeitura de Belém, e exigem a realização de uma audiência pública para consulta da população sobre o projeto.

Na próxima quinta-feira (11), as entidades convocarão uma plenária com outros setores da sociedade para construir um fórum contra o BRT e em defesa de outras propostas para o transporte público. A reunião acontece às 18 horas, no auditório do Sintsep, localizado travessa Mauriti, 2239, bairro da Pedreira.

De acordo com Márcio Amaral, do Sintram, o sistema BRT proposto por Duciomar “inspira desconfiança”. Ele alega que o projeto não leva em consideração a opinião dos moradores de Ananindeua, Marituba e demais regiões da BR-316, além do próprio centro da cidade. Para Amaral é necessário realizar uma audiência pública para debater o tema.

Segundo Emanuelle Nery, do DCE Unama, com a implantação do BRT a prefeitura prevê dois aumentos no valor da passagem. “O preço de tudo vem subindo e o reajuste dado no salário mínimo já está sendo consumido com a alta na cesta básica”, alegou.

A nota das entidades defende o cancelamento imediato da licitação atual com a construtora Andrade Gutierrez, alegando suspeitas na forma como a empresa ganhou a licitação de R$430 milhões, e congelamento do sistema BRT até a realização de audiências públicas para discussão do projeto com a população.

Também faz parte da pauta do movimento a exigência de estagnação do preço da passagem e a formação de uma Comissão dos Trabalhadores e da Sociedade, com integrantes dos Sindicatos, Ministério Público, especialistas em transporte público para discutir os impactos sociais, econômicos e ambientais da proposta.  As entidades questionam se “não há alternativas mais baratas e mais viáveis” para o trânsito de Belém. (DOL, com informações da Ascom do Sintram)

Fonte: Diário Online

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Em Manaus, Avenida das Torres deve ganhar corredor exclusivo para ônibus

06/01/2012 - D24 AM

No próximo dia 17 (terça-feira) de janeiro, o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), realizará uma audiência pública para a apresentação das condições gerais do processo de construção do corredor exclusivo de ônibus da avenida das Torres, que compreende os trechos 2, 3 e 4. O evento será realizado, a partir das 9h, no auditório da Seinfra (alameda Cosme Ferreira, nº 7.600, Coroado III, zona leste).

O convite para a realização desta audiência atende ao que determina a Lei nº 8.666/93, e é direcionado à toda sociedade civil organizada, órgãos governamentais e não governamentais ligados à infraestrutura. Esta nova intervenção do Governo do Estado do Amazonas está inserida no Plano de Intervenções Viárias elaborado por determinação do governador Omar Aziz para facilitar o tráfego de veículos no perímetro urbano de Manaus.

A secretária estadual de Infraestrutura, Waldívia Alencar, explica que o objetivo é oferecer alternativas de escoamento e tráfego de veículos para evitar os engarrafamentos constantes verificados nas principais artérias da cidade. “Esta nova etapa terá uma extensão de 11,2 quilômetros e vai facilitar o trânsito de ônibus”, destacou a titular da Seinfra.

Atualmente, a avenida das Torres possui seis pistas largas para o tráfego de veículos leves e pesados, interligando as zonas norte e centro-sul da cidade. De acordo com o projeto de extensão, haverá a ligação com a avenida Max Teixeira até a avenida do Turismo, dando acesso direto a AM 010; a ligação Flores-avenida das Torres e a conexão do Complexo de Flores com a avenida do Turismo e avenida Coronel Jorge Teixeira; a articulação viária nos Franceses, com duplicação da estrada e a sua extensão desde o bairro Campos Elíseos até a avenida Torquato Tapajós.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Projeto do BRT de Manaus ainda não tem vencedor de licitação

04/01/2012 - TV A Crítica

Após a divulgação de que o Monotrilho não será mais implantado em Manaus, prefeitura aposta em BRT para dar fim ao problema do trânsito da cidade

O projeto de monotrilho não está mais nos planos para a Copa de 2014 em Manaus. A única alternativa ainda considerada viável para o trânsito caótico da cidade é o projeto do Bus Rapid Transit, mais conhecido como BRT, que ainda não saiu do papel.

A prefeitura tinha como previsão terminar a licitação em novembro de 2010 e assinar o contrato com a empresa vencedora em dezembro do mesmo na. No entanto, até o momento, as empresas concorrentes tiveram suas propostas reprovadas. Eles tem até sexta-feira (6) para apresentar novos documentos.
 

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Cartas marcadas na licitação do ônibus rápido

03/01/2012 - Diãrio do Pará

A construtora Andrade Gutierrez foi a única empresa a apresentar proposta na concorrência pública internacional da prefeitura de Belém para implantação do projeto de BRT

A obra de R$ 430 milhões já foi aprovada pela Câmara Municipal e está prevista para durar dois anos. Esse projeto prevê que ônibus sobre canaletas, com capacidade para 250 passageiros, percorram os corredores de tráfego das avenidas Augusto Montenegro e Almirante Barroso, indo até a estação final, no bairro de São Brás. Várias empresas que iriam participar do edital deixaram de apresentar suas propostas, como forma de protesto, denunciando que o edital foi direcionado para beneficiar apenas uma. O edital começou com 19 empresas. Só restou a Andrade Gutierrez.
 
Não foi à toa que no dia 27 passado, terça-feira, ao tomar conhecimento por uma fonte de que a concorrência era um jogo de cartas marcadas, o DIÁRIO publicou um anúncio no caderno de classificados Tem! que é uma mensagem cifrada, adiantando quem seria a eleita. O texto do anúncio, intitulado “Por uma Graça Alcançada”, dizia: “A fé alavanca as grandes obras do Senhor. DC ouviu tuas preces. AG, és a vencedora. Juntos, agora, multiplicaremos o pão nosso de cada dia. Feliz 02/01/2012. PB”.
 
Após a abertura de quatro alentados volumes e suas cópias, entregues por Edson Evangelista Marinho Filho e Edivaldo Corrêa Carvalho, representantes da construtora Andrade Gutierrez presentes no auditório da Secretaria Municipal de Administração (Semad), a presidente da Comissão de Licitação da prefeitura, Suely Costa Lima de Melo, anunciou que o trabalho estava suspenso para “análise criteriosa” dos documentos de habilitação.
 
A partir daí, ninguém tinha mais nada a fazer no pequeno auditório, onde havia apenas outros quatro representantes de empresas que desistiram da estranha licitação, a não ser observar a exaustiva rubrica, página por página, feita por integrantes da Comissão, nas mais de 1.500 laudas da massaroca apresentada pela construtora paulista. O DIÁRIO ainda fez uma provocação, indagando a uma das servidoras da Comissão se a Andrade Gutierrez podia ser considerada vencedora da concorrência. “Não, ainda vamos analisar a proposta”, respondeu Eunice Kikuchi.
 
Segundo ela, o ritual da Comissão de Licitação, durante a “análise” terá a participação de técnicos que serão chamados para tirar qualquer dúvida. Feito isso, o resultado da habilitação será publicado no Diário Oficial. A data da reabertura da licitação será informada posteriormente à empresa, para apresentação de proposta técnica e habilitação de preços. É óbvio, contudo, que sendo a única participante da concorrência, a Andrade Gutierrez poderá, se quiser, oferecer preço até superior à cotação de mercado, já que não há outras empresas para apresentar “menor preço”, como exige o edital da licitação.
 
NA JUSTIÇA
 
Aliás, a denúncia de que o edital era viciado e feito sob medida para beneficiar a construtora causou revolta entre as concorrentes e foi parar na Justiça, na véspera do Natal. A empresa Estacon Engenharia ingressou com mandado de segurança, alegando que o edital apresentava diversas irregularidades, como omissão da fonte de recursos e de apresentação da prova de capacidade técnica dos profissionais e das empresas concorrentes, além da falta de estudos e do relatório de impacto ambiental no projeto. A juíza do plantão, Margui Gaspar Bittencourt, concedeu a liminar, mandando suspender a apresentação e abertura das propostas.
 
No dia 30, sexta-feira, o recurso da prefeitura contra a decisão da juíza caiu nas mãos, em forma de agravo de instrumento, da desembargadora Dahil Paraense. Ela assumiu o plantão apenas por um dia, substituindo na escala a desembargadora Maria de Nazaré Gouveia dos Santos, que precisou fazer uma viagem. Dahil Paraense, porém, nem se deteve na análise sucinta do caso. Despachou ainda na sexta-feira, acolhendo o recurso da prefeitura para cassar a liminar de Margui Bittencourt. No sábado, Maria de Nazaré dos Santos assumiu o plantão.
 
Empresa não responde a denúncias
 
O prefeito Duciomar Costa, que tanto reclamou no decorrer da semana de “interesses privados”, acusando-os de estarem conspirando contra “600 mil pessoas”, provou mais uma vez que consegue vencer todas as demandas.
 
Ainda que seu projeto,surgido do nada e desconhecido da população, seja denunciado à Justiça por empresários, por claramente beneficiar uma das maiores construtoras da América Latina.
 
Um representante da Andrade Gutierrez que participou da abertura dos envelopes da empresa no auditório da Comissão de Licitação saiu apressado do local sem falar com o DIÁRIO, a quem tinha prometido comentar o edital e a acusação de favorecimento das concorrentes. Uma empresa que presta assessoria de imprensa à construtora em São Paulo foi contatada no final da tarde de ontem para ouvir a versão da empresa. Quatro perguntas foram enviadas por e-mail.
 
Mas até o fechamento da edição as respostas não haviam chegado. A assessora explicou que estava difícil, devido ao adiantado da hora, localizar algum diretor da empresa.