segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Governo do Pará apresenta projeto do BRT para engenheiros e arquitetos

21/08/2015 - Agência Pará de Notícias


Evento contou com a presença de mais de cem engenheiros, arquitetos, parlamentares, estudantes e interessados no projeto que integrará os municípios do entorno de Belém

Projeto contempla também construção de viaduto 
Projeto contempla também construção de viaduto
créditos: Agência Pará
 
Na noite de noite (19), no Clube de Engenharia do Pará (CEP), foram apresentados os projetos e investimentos que estão sendo implementados para melhorar a mobilidade urbana na Grande Belém. Entre outros, o projeto do BRT Metropolitano foi mostrado a engenheiros, arquitetos, estudantes e interessados pelo governo do estado, representado pelo diretor geral do Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), Cesar Meira.
 
Segundo o governo do Pará, somadas todas as obras de mobilidade urbana espalhadas pela Região Metropolitana de Belém (RMB) o investimento foi de mais de um bilhão de reais. "É um momento ímpar, pois nunca tivemos um investimento desse porte na área de mobilidade. E não estamos falando apenas de projetos, mas de obras que já são realidade, como a Avenida Independência, que já foi entregue e as Avenidas João Paulo II e Perimetral que estão com obras em andamento", pontuou Cesar Meira.
 
BRT
O BRT (Bus Rapid Transit) Metropolitano vai beneficiar a população da capital, ao integrar os municípios, reduzir os graves congestionamentos e trazer melhoria para o transporte público metropolitano. O sistema será mais rápido, seguro e com muito mais qualidade, trazendo um novo conceito de transporte público. Com o BRT Metropolitano, o tempo de viagem de Marituba ao Ver-o-Peso será reduzido de 40% a 50% e ampliará a atual oferta de transporte de 11 mil passageiros/hora/pico/sentido para 24 mil passageiros/hora/pico/sentido.
 
Meira informou que a expectativa é que o processo licitatório seja iniciado em setembro. "Estamos no aguardo da cessão de uso da BR-316, que será concedida pelo governo federal para darmos início à licitação", informou o diretor geral. O modelo conceitual de implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit) é operado por ônibus articulados com quatro portas no lado esquerdo, trafegando em canaletas, de Marituba até Belém. O Projeto Ação Metrópole prevê, ainda, a gestão operacional associada dos serviços de transporte público por ônibus, executada por um consórcio formado pelo Estado e pelas prefeituras que fazem parte da RMB.
 
O diretor de planejamento do NGTM, Paulo Ribeiro, apresentou a parte técnica do projeto do BRT Metropolitano em detalhes. "Foram realizados vários estudos técnicos e econômicos que justificaram a implantação do BRT para a Grande Belém", informou o diretor de planejamento, ao explicar que o BRT é um sistema de transporte público moderno que, diferentemente dos ônibus convencionais, fornece, ao passageiro, uma viagem mais rápida, confortável e segura, e agrega as características de operação, desempenho e conforto dos sistemas de transporte sobre trilhos (metrô e veículo leve sobre trilhos — VLT), custando de 4 a 20 vezes menos que um VLT e de 10 a 100 vezes menos que um metrô para uma mesma quantidade de passageiros transportados.
 
Projeto
Situadas ao longo de todos os 10,7 km da Rodovia BR-316, no canteiro central, as faixas exclusivas para os ônibus do BRT Metropolitano serão construídas em concreto e serão separadas do tráfego geral. Além disso, semáforos inteligentes permitirão que os ônibus do BRT Metropolitano tenham prioridade nos cruzamentos e passem menos tempo parados no sinal vermelho. Ao longo das faixas exclusivas serão instaladas 26 estações de passageiros na Rodovia BR-316, sendo 13 para cada sentido.
 
O acesso às estações será feito através de passarelas (com rampas e escadas) ou travessias semaforizadas. Nessas, haverá venda de passagem e a validação do cartão de embarque. Além disso, serão instalados bicicletários próximos às passarelas para possibilitar que os ciclistas também utilizem o BRT como parte de suas viagens.
 
Paulo Ribeiro mostrou como será a BR-316 após as obras, que passará por grande intervenção, informando que serão implantadas calçadas e ciclovias arborizadas em ambos os lados da via, o que permitirá que os pedestres e ciclistas circulem com segurança e conforto. As estações possuirão painéis eletrônicos para informar o horário de chegada dos ônibus e irão operar com portas automáticas. Além disso, essas estações terão plataformas elevadas para permitir o embarque e desembarque de passageiros em nível, garantindo a utilização do BRT de forma segura e confortável. "Também considerando todos os requisitos de acessibilidade espacial para portadores de necessidades especiais", complementou.
 
Terminais
O ponto inicial do BRT será o Terminal Marituba, localizado no km 10,7 da Rodovia BR-316, próximo a Alça Viária, e permitirá a integração das linhas alimentadoras que vêm de Marituba ao BRT. O Terminal será composto por duas plataformas, sendo uma para as linhas troncais e outra para as linhas alimentadoras, área de expansão e de estocagem, praça e estacionamento para motos, veículos e bicicletas, possibilitando a integração desses usuários. Nesse terminal, também serão ofertados outros serviços à população através de programas do Governo, como o "Navega Pará", com acesso gratuito à internet sem fio (Wi-Fi), e a "Estação Cidadania", onde seus usuários terão acesso a órgãos públicos e demais serviços sem ter que se deslocar até o Centro de Belém.
 
Já em Ananindeua, o Terminal será localizado no km 6,5 da Rodovia BR-316, em frente à Sede Campestre da AABB. Será o principal ponto de integração das linhas alimentadoras de Ananindeua ao BRT. Esse terminal contará com acessos através de passagens subterrâneas para as linhas troncais, três plataformas para as linhas troncais e alimentadoras, área de expansão e de estocagem, estacionamento para motos, veículos e bicicletas, acesso à internet sem fio (Wi-Fi), praça e outra unidade da "Estação Cidadania".
 
Localizado ao lado do Terminal Ananindeua, o Viaduto Ananindeua atravessará a Rodovia BR-316 e terá quatro pétalas, possibilitando todos os retornos no local, tanto para os ônibus quanto para os veículos particulares. O Terminal de Ananindeua se configura como o maior e mais importante Terminal do BRT Metropolitano, uma vez que possibilitará a conexão deste aos conjuntos Cidade Nova e seu entorno, através da Rua Ananin que está sendo executada pela prefeitura de Ananindeua e do viaduto aqui apresentado, além de facilitar a ligação entre as áreas ao sul da BR, como conjunto Julia Seffer e Aurá à Cidade Nova.
 
O painel de debates, realizado na sede do CEP, faz parte da proposta da diretoria do Clube de discutir com a sociedade temas que afetam diretamente o cotidiano dos paraenses, como ocorreu anteriormente com relação à divisão do Estado. O presidente do CEP, Daniel Sobrinho, agradeceu a forma como foi recebido pela diretoria do NGTM ao fazer o convite para o encontro. Também participaram do painel o titular da Secretaria Municipal de Urbanismo (Sedurb), Adinaldo Oliveira, e a diretora-superintendente da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob), Maísa Tobias, que apresentou o BRT Municipal. Mais de 100 pessoas participaram do encontro.
 
Obras de Mobilidade Urbana na RMB - Quadro de Valores (milhão)
• Prolongamento da Av. Independência                                     R$  120
• Duplicação da Av. Perimetral                                           R$   77
• Prolongamento da Av. João Paulo II                                     R$  300
• Duplicação da Yamada/Tapanã                                            R$   65
• Plataforma Logística do Guamá                                          R$  104
• BRT Metropolitano                                                      R$  400
• Total (bilhão)                                                         R$ 1.066