sábado, 19 de janeiro de 2013

BRT de Belém será entregue só no ano que vem

10/01/2013 - Diário do Pará

Ao longo da avenida Almirante Barroso, funcionários da prefeitura fazem ajustes e instalações nas plataformas de embarque e a fixação da tela de proteção da ciclovia

No trecho que compreende a avenida Augusto Montenegro, apenas os blocos de concreto, no trecho logo após o Entroncamento, dão indícios de que o projeto que corta as duas vias é um só. As obras do BRT (Bus Rapid Transit), projeto mais ambicioso e polêmico da prefeitura municipal de Belém, prosseguem tentando compensar atrasos.

Com a grande maioria dos funcionários e do maquinado da construtora Andrade Gutierrez, responsável pela obra, isolados no grande canteiro de obras do Entroncamento, a previsão mais otimista da prefeitura indica a conclusão do primeiro trecho do projeto até o final do próximo semestre. A informação inicial era de que, até o fim do último mês, os ônibus articulados e biarticulados já estariam circulando entre Entroncamento e São Brás.

De acordo com a assessoria de imprensa da Unidade de Gerenciamento de Projetos Especiais (UGPE) da Prefeitura Municipal de Belém, responsável pelas obras do BRT, os atrasos se deram por conta de "alguns transtornos". Em nota, a assessoria cita como exemplo o problema com a adutora da Cosanpa no Entroncamento, que obrigou a construtora a reposicionar o pilar de sustentação de um dos três elevados que estão sendo construídos na área. "As obras tiveram que ser remanejadas em função da prioridade da primeira parte da obras, que é a Almirante Barroso e o Entroncamento que era um grande 'gargalo' no trânsito da cidade. A previsão é que fiquem prontas no final de 2013", informa.

Agentes da Companhia de Transportes de Belém (CTBel) permanecem em trechos próximos ao Entroncamento orientando motoristas e pedestres, especialmente no início da avenida Augusto Montenegro, onde ocorreram mudanças recentes devido a interdição parcial da rotatória, impedindo o acesso de veículos que vêm no sentido São Brás/Pedro Álvares Cabral. Segundo a UGPE, 60% das oito paradas especiais do BRT já foram alocadas na avenida Almirante Barroso. "Devem ser instaladas até o final do ano, seguindo o cronograma das obras. No local, há vigilantes contratados pela empresa que realiza a obra", esclarece.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

BRT de Belém está sendo alvo de análise deixando obras paradas

08/01/2013 - Diário do Pará

Maisa Tobias, presidente da CTBel, disse que o contrato do BRT de Belém ainda está sendo analisado e discutido com o MPE. "Ainda não há prazo para a retomada da obras, pois elas dependem de outras medidas, como a questão das linhas alimentadoras do sistema", afirmou.


"Como a execução foi atropelada antes mesmo da concepção do sistema, precisamos agora reavaliá-lo. As medidas foram tomadas de maneira descompassada e vamos atuar nos ajustes", disse, informando que a CTBel vai atuar junto com o MPE numa análise do contrato "desde a sua elaboração e execução para podermos dar prosseguimento às obras".

Zenaldo Coutinho afirmou que a atual gestão quer avançar no BRT, mas com segurança e tranquilidade. "Já estamos cumprindo diligências solicitadas pelo Ministério Público Federal e vou assinar o mais rápido possível o convênio com o governo federal, que ainda não existe. Não podemos penalizar a população mais do que ela já foi com as obras na Almirante Barroso". Uma das primeiras medidas será a retirada das muretas colocadas ao longo da avenida, de acordo com pareceres técnicos da CTBel e MPE. "Não queremos parar as obras, mas avançar o mais rápido possível para que as obras atendam aos anseios da população".

A reportagem tentou contato com o ex-prefeito Duciomar Costa na noite de ontem para repercutir as colocações postas na reunião, mas não conseguiu localizá-lo. Tentou contactar ex-assessores e até o ex-coordenador de campanha do ex-prefeito, Yuseff Leitão, mas não obteve sucesso. O ex-vice-prefeito Anivaldo Vale também informou não ter o telefone do correligionário.

Porto Velho já conta com integração de ônibus

10/12/2012 - Página da Notícia

Já estão em funcionamento em Porto Velho os pontos de integração dos ônibus das linhas urbanas da capital. São 15 pontos localizados ao longo da avenida 07 de Setembro, na área comercial da cidade. Os pontos estão distribuídos no perímetro que vai da avenida Farquar até o início da Nações Unidas. A prefeitura iniciou uma campanha educativa junto aos usuários de transporte coletivo, colocando placas chamando a atenção do usuário de que ali existe um ponto de integração. Numa outra etapa, a população seráesclarecida sobre esse novo serviço, que é na verdade mais um benefício que o município disponibiliza à população.

Com o novo sistema, o passageiro agora pode pegar até dois ônibus de itinerários diferentes pagando apenas uma passagem. No entanto, a integração só pode ser feita de uma zona para outra. Deslocamentos para a mesma zona, mesmo que seja para outro bairro, não serão aceitos, de acordo com o que informou José Zacarias. "É importante destacar isso, a integração só funciona de zona para zona. Por exemplo, se eu venho da zona sul e quero me deslocar para a zona leste, eu desço na Sete de Setembro para fazer a integração pegando o ônibus que vai para o bairro da zona leste que pretendo ir, isso sem custo adicional. Agora para fazer a integração eu tenho que ter o cartão Leva Eu, porque o próprio sistema de bilhetagem eletrônica é que faz todo o processo", afirmou.

No caso, se o passageiro veio da zona sul e pretende voltar para a zona sul, ele terá que pagar outra passagem porque o sistema acusará que ele está se dirigindo para a mesma região da cidade. Já quando a integração é feita com ônibus que se dirigem para zonas diferentes, o sistema abre a catraca para usuário passar sem descontar a passagem. "Por isso pedimos que as pessoas que ainda não têm o cartão Leva Eu, que procurem a Semtran para adquirir o cartão e ter direito a esse benefício. Basta trazer os documentos pessoais, uma foto 3x4 e comprovante de residência, enfatizou José Zacarias, responsável pelas campanhas educacionais da Semtran.

Fonte: Página da Notícia

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

BRT de Belém deve ser concluído somente em 2014

29/12/2012 - O Liberal

As obras do Bus Rapid Transit (BRT) em Belém, que serão continuadas pelo prefeito eleito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), devem ser concluídas em 2014. Esta é a previsão do prefeito, que deverá iniciar, a partir do ano que vem, algumas mudanças técnicas em elementos do projeto para dar celeridade à obra e mais fluidez ao trânsito. Um estudo técnico para rever a execução de elementos do BRT já foi feito e aponta necessidade de algumas modificações, como a eliminação da proteção de concreto entre a pista do BRT e o asfalto.

O BRT pretende ser um ônibus articulado expresso, que diminua o tempo de viagem e garanta fluidez ao trânsito. Porém, com as muretas de concreto, hoje não existe área de ultrapassagem, o que atravancaria o sistema em caso de pane de um dos veículos. Segundo o prefeito, pelos estudos que tem sido feitos, as muretas apenas encarecem o quilômetro da obra. "A informação que nós temos, preliminar, é que cada quilômetro do BRT fica R$ 1 milhão mais caro por causa das muretas de concreto", aponta. Uma das alternativas seria a construção de uma tela de proteção próximo à ciclovia, impedindo a travessia e garantindo a segurança sem precisar das muretas.

Além da necessidade de remoção das muretas, outra alteração que deve ser feita, de acordo com os estudos técnicos, diz respeito às estações de passageiros. Hoje, não há recuo para que o ônibus pare e o fluxo continue na pista. "Se o BRT parar para pegar passageiros, também estanca. Não prepararam área recuada. Nós vamos ter que, infelizmente, refazer as estações", observa Zenaldo. O prefeito lembra ainda que será preciso implantar, junto ao BRT um sistema de controle que envolva sinalização, linhas alimentadoras, circulares de bairro e ainda o transporte intermodal, em um projeto integrado.